ArtigoJesus Cristo

Se Jesus não tivesse vindo ao mundo

Jesus foi, é e sempre será único e incomparável.

Muitos se contentam em admitir que Jesus foi um bom mestre e reformador social, e algumas religiões até mesmo admitem que ele foi um grande profeta enviado por Deus. Mas nenhuma dessas expressões de aprovação é suficiente.

O maior dos mensageiros

Jesus não foi um profeta como foram aqueles que vieram antes dele. Também não foi apenas um grande palestrante motivador e moralista. Ele foi e é essencialmente distinto.

Jesus é como o Pai testemunhou em seu batismo e no monte da transfiguração, o Filho Amado de Deus (Marcos 1:11; 9: 7). Em sua condição de Filho de Deus, “Ele é o resplendor da glória e a expressão exata do seu ser” (Hebreus 1:3). Suas qualidades são incomparáveis.

Portanto, Jesus supera todos os outros mensageiros que Deus enviou ou que poderia alguma vez enviar, uma vez que pela sua própria natureza supera todos os concorrentes.

A maior mensagem

Jesus não é apenas o maior dos mensageiros. A mensagem que anuncia é também a maior, e é mais importante do que qualquer mensagem que já foi ou poderia ser proclamada.

Sem dúvida, o ministério de Jesus não contradiz a Escritura, mas está intimamente relacionado com o que Deus falou por meio dos profetas que o precederam. Afinal de contas, o que eles pregavam era a palavra de Deus; mas Jesus é o próprio Verbo de Deus encarnado (João 1: 1, 14). Sua mensagem transcende a dos profetas, já que se trata do cumprimento de todas as promessas que haviam feito antes. Ele mesmo é o cumprimento.

Por razões semelhantes, pode-se dizer que o “aceitar” uma mulher no altar é melhor do que o “sim” do seu compromisso. O “sim” é a feliz promessa do casamento, enquanto o “aceito” é o ato do casamento em si (que é o que a motivou a dizer “sim” em primeira instância e que levou a que o noivo a pedir sua mão) . Portanto, o “eu aceito” é a finalidade e o cumprimento do “sim”.

Do mesmo modo, a profecia de Isaías sobre o sofrimento do Servo do Senhor, que iria entregar uma “oferta de expiação” (Isaías 53:10), não se compara com as palavras de Jesus na cruz, dizendo: “Está consumado!” (João 19:30). Essas palavras eram a finalidade e são agora o cumprindo da profecia de Isaías: o próprio Jesus é essa oferta.

Se Jesus não tivesse vindo ao mundo

O que teria sido de nós se Jesus não tivesse vindo ao mundo? Como muitas das realidades, belezas e dádivas divinas em que vivemos hoje se tornariam inválidas? Quais verdades desconheceríamos?

Por um lado, estas são perguntas impossíveis. Todo o universo foi criado nEle, por Ele e para Ele (Colossenses 1:16). Sem Ele, todo o universo entraria em colapso. Por outro lado, podemos apreciar melhor a sua vinda se considerarmos algumas das muitas bênçãos individuais que devem de algum modo diretamente a ela. Estas são, por sua vez, algumas das verdades mais importantes do universo e de todos os tempos.

  • Se Jesus não tivesse nascido, não conheceríamos a total fidelidade de Deus. Não conheceríamos o pleno cumprimento de cada uma das promessas, incluindo a primeira que fez: que a descendência de Eva esmagaria a cabeça de nosso grande adversário Satanás (Gênesis 3:15).
  • Se Jesus não tivesse nascido, não conheceríamos a plenitude do amor de Deus: “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos” (João 15:13) e “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5: 8).
  • Se Jesus não tivesse nascido, não saberíamos quão grandes são a humildade de Deus e sua compaixão para conosco. Conforme Hebreus 2:17, Jesus “teve que ser feito semelhante a seus irmãos em tudo, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo.” Jesus foi feito semelhante a nós em tudo: ele tomou sobre si todas as nossas fraquezas, tentações e sofrimentos. E ele fez isso para ser um defensor mais misericordioso para conosco.
  • Finalmente, se Jesus não tivesse vindo ao mundo, não tinha morrido em expiação, nem teria ressuscitado logo em seguida, assim não seríamos salvos, nem teria possibilidade de salvação para os pecadores. “Porque, se quando éramos inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida” (Romanos 5:10).

Ver a Jesus e alegrar-se nEle como o incomparável Filho de Deus e a encarnação de suas maiores bênçãos é a única maneira verdadeira de tê-lo.

Este é um assunto que requer atenção urgente hoje e todos os dias. Que Deus lhe dê um entendimento renovado para que assim você possa admirar a Cristo e deleitar-se nEle, e lhe conceda a graça de seguir olhando e regozijando-se nEle com crescente clareza, alegria e reverência.[/fusion_text][/fusion_builder_column]

Por: Tyler Kenney. © Novembro de 2013

© 2013 Todos os direitos reservados. Website: DesiringGod.

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Mostrar Mais
Publicidade

Bom Caminho

Bom Caminho existe para proclamar as boas novas de Cristo, fornecendo conteúdo puro e simples da Palavra de Deus através de cursos teológicos, literatura, e conteúdo online gratuito.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close